Refeitório

Preocupados com o precário funcionamento do Refeitório da Escola, a APEEL entendeu, e dando seguimento às inúmeras reclamações que temos recebido dos Pais e EE, contactar formalmente o Coordenador da Escola. Solicitámos, assim, alguns esclarecimentos na expectativa de podermos vir a reforçar a necessidade de um acompanhamento mais eficaz. Reproduzimos a seguir as cartas trocadas entre as partes, chamando a V/ particular atenção para o "vazio" da resposta que nos foi dirigida. Voltaremos a insistir nesta matéria, mas fica a mensagem de que individualmente, todos os Pais e EE poderão e deverão, se assim o entenderem, expressar quaisquer preocupações e reclamações junto do próprio do Coordenador da Escola, cujo horário de atendimento semanal é às 5ª feiras, das 13h às 14h (sujeito a marcação) ou junto dos Professores Titulares de Turma, como sugerido pelo próprio Coordenador.Para V/ conhecimento, o teor das cartas referidas:

Exmo. Senhor
Coordenador da Escola EB1 Nº 24 do Bairro de São Miguel
Prof. Fernando Ferraz
Lisboa, 7 de Novembro de 2007

Assunto: Qualidade e Funcionamento do Refeitório

Exmo. Senhor,

Na qualidade de representantes dos Pais e Encarregados de Educação da Escola EB1 Nº 24 do Bairro de São Miguel, vimos por este meio informar V/ Exa. que a APEEL tem recebido inúmeras reclamações relativas ao funcionamento e qualidade das refeições servidas no refeitório.
Em concreto, os alunos manifestam, de forma preocupante, o seu desagrado face à qualidade e “sabor” dos alimentos que lhes são servidos; acresce ainda o facto de os Pais e EE considerarem que os funcionários que prestam assistência ao refeitório são em número insuficiente ao previsto, o que, naturalmente, causa problemas evidentes, como compreenderá.
Adicionalmente, as crianças que levam as suas próprias refeições, e que, como sabe, são bastantes, reclamam falta de assistência por parte dos funcionários do refeitório, o que nos parece impróprio uma vez que este é um direito que lhes assiste.
Uma vez que V/ Exa. supervisiona/acompanha o funcionamento do refeitório da Escola, solicitamos que nos informe sobre as seguintes questões:
1. de que forma é avaliada a qualidade das refeições (critérios e frequência de eventuais relatórios sobre a actividade da Nordigal na Escola);
2. de que forma são confeccionadas as refeições;
3. quantos funcionários prestam realmente apoio aos alunos.
Na expectativa da V/ resposta, subscrevemo-nos com os melhores cumprimentos,
A Presidente da Direcção
Irene Guimarães
CC Agrupamento de Escolas Eugénio dos Santos
CC Câmara Municipal de Lisboa


Resposta recebida em 15 de Novembro de 2007

Acusamos a recepção da comunicação de V. Exa. sobre o assunto em referência que nos mereceu melhor atenção por entendermos que compartilha connosco sobre preocupações com vista a melhorar as condições dos nossos alunos.
No que se refere às reclamações dos senhores encarregados de educação recebidas na APEEL informamos que todos os professores titulares de turma têm no seu horário um tempo fixo destinado ao atendimento aos senhores encarregados de eduacção para assuntos relacionados com os seus educandos, bem como se encontra afixado o horário de atendimento do Coordenador de Escola.
Informamos também que continuamente são tomadas providências para ultrapassar pequenos imprevistos que naturalmente surgem atendendo à idade e número das crianças, bem como às condições do local em que são servidas as refeições que, não sendo o ideal, são as possíveis no momento.
Informamos ainda que a qualidade das refeições é assegurada por uma equipa de nuticionistas da CML, que as refeições são confeccionadas em instalações próprias da NORDIGAL estando previstos 11 funcionários para apoio aos alunos.
Com os melhores cumprimentos,
O Coordenador da Escola
Fernando Ferraz

Comentários

Pedro disse…
Há três problemas que se colocam nesta questão do refeitório:

1- A competência pedagógica de quem acompanha as crianças durante as refeições, que julgo ser nula, segundo testemunhos, já que os professores não acompanham as crianças durante as refeições.
Assistimos assim a situações lamentáveis, parecendo-se o refeitório com uma manjedoira animal, onde os tabuleiros são abertos ao murro, onde algumas funcionárias mandam as crianças arbitrariamente de castigo, etc...

Um refeitório é um espaço de convívio próprio para refeições, onde as crianças, de acordo com um conjunto de regras, devia sentir-se bem, partilhando desse mesmo espaço com outras crianças...Utopias

2 - A qualidade da alimentação:

Já algém fez um tratamento estatístico ao número de crianças, que passou a levar o almoço de casa? Isso quer dizer alguma coisa e olhem que a minha filha nem é particularmente esquisita.

Com comida liofilizada é impossível termos intoxicações alimentares, mas isso não garante a "qualidade" da mesma, especialmente quando as sopas são servidas frias, porque não há como as aquecer!!!

3 - Se com a construção do novo refeitório a alimentação vai continuar a ser fornecida externamente ou se vai passar a ser confeccionada internamente na escola?

A associação de pais já foi ouvida, sobre o novo refeitório?

P. Rebordão
APEEL disse…
Caro Pedro:
Obrigada pelo seu comentário; de facto, seria interessante perceber quantas crianças levam o seu próprio almoço, e comparar esse número com anos anteriores.
No que se refere ao funcionamento, qualidade, atendimento, acompanhamento às crianças, tivemos oportunidade de transmitir todas as nossas preocupações quer ao Coordenador da Escola (como já publicado neste blog) do qual recebemos uma "não-resposta", bem como à CML e ao Agrupamento Eugénio dos Santos. Consequências? Não sabemos, teremos que aguardar, mas insistiremos nesta questão o mais possível.
Helena Rico

Postagens mais visitadas deste blog

Férias e o novo ano letivo que se aproxima

1 de Outubro, Dia Mundial da Música!

Reunião de Conselho Geral